Tripulação da Eastern China Airlines manteve comunicação normal até o momento da queda, diz autoridade chinesa

A tripulação da Eastern China Airlines manteve comunicação normal até o momento da queda, disse nesta quarta-feira (23) a Administração de Aviação Civil da China(CAAC, da sigla em inglês).

O chefe do centro de investigação de acidentes da CAAC, Mao Yanfeng, disse em entrevista coletiva que os controladores mantiveram contato com o avião durante todo o percurso.

De acordo com os registros em terra, eles deixaram de receber informações do Boeing 737-800 no momento em que foi registrada uma perda repentina de altitude (veja mais adiante na reportagem).

Ele disse ainda que o tempo estava normal e não havia condições climáticas perigosas quando o avião com 132 pessoas a bordo caiu na Região Autônoma de Guangxi, no sul da China.

Um porta-voz da companhia aérea disse que os três pilotos que estavam no avião eram bastante experientes, com boas performances e que viviam “vidas familiares harmoniosas”.

Caixa-preta foi encontrada
Forças de resgate que fazem as buscas no local da queda encontraram uma das caixas-pretas da aeronave – o equipamento será processado em um laboratório especializado.

Segundo a CAAC, o equipamento recuperado é o gravador de voz do cockpit, que pode indicar o que causou o episódio, na segunda-feira (21) no sul do país.

A queda do avião, que despencou na vertical, ainda intriga especialistas.

O estado da caixa-preta encontrada, no entanto, é ruim, informou a agência de aviação civil chinesa.

A aeronave tem duas caixas-pretas. Uma delas registra os dados do voo e a outra, o diálogo entre a cabine e a torre.

O avião, com 132 pessoas a bordo, entre elas nove tripulantes, caiu em Guangxi, uma região montanhosa no sul da China, após uma descida misteriosa na vertical.

Nenhum sobrevivente foi encontrado no local das buscas. Autoridades disseram que o estado da aeronave, que se desintegrou na queda, deve complicar muito as investigações sobre a causa do acidente. O choque do avião com o solo provocou um incêndio na área da queda.

A agência de aviação civil disse que, ao notar a queda repentina de altitude, operadores de tráfego aéreo tentaram contato com a aeronave, que deixou de responder.

Segundo o site FlightRadar24, que monitora voos em todo o mundo, o avião perdeu contato com as torres quando sobrevoava a cidade de Wuzhou, também no sul do país. O voo fazia a rota entre as cidades de Kunming e Guangzhou, e não havia estrangeiros entre os passageiros e tripulantes.

O ex-diretor do Escritório de Investigação e Análises de Segurança Aérea da França, Jean-Paul Troadec, afirmou à agência de notícias AFP que os dados do FlightRadar24 são “muito incomuns”.

A trajetória do avião mostra que nos últimos momentos antes da queda houve uma leve retomada de altitude. O vídeo abaixo mostra a altitude e a posição da aeronave nos momentos que antecedem a queda final –não há dados precisos para as altitudes mais baixas.

A aeronave, um Boeing 737-800, operava havia seis anos e tinha bom histórico de segurança de voo, também de acordo com o FlightRadar24. A Boeing informou que está coletando mais informações com autoridades locais para iniciar uma investigação sobre o caso. A imprensa estatal chinesa informou que a companhia aérea suspendeu os voos com o mesmo modelo de aeronave.

Fonte: G1

Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.