Sem Hospital de Campanha, pacientes com Covid-19 lotam UPAs e Policlínicas de Feira de Santana

“As pessoas estão agonizando e não têm para onde ir, precisam ser reguladas para Salvador”, criticou o vereador Paulão – Foto: ASCOM

Com o fechamento do Hospital de Campanha e a recente alta no número de casos da Covid-19 em Feira de Santana, pacientes acometidos pela doença lotam as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Policlínicas presentes no município. A observação é do vereador Paulão do Caldeirão (PSC), que, na sessão desta quarta-feira (09), criticou a decisão da Prefeitura. “As pessoas estão agonizando e não têm para onde ir, precisam ser reguladas para Salvador”. 

A Central de Regulação também foi criticada pelo parlamentar, que demonstra preocupação com o longo tempo de espera enfrentado por pacientes que precisam ser transferidos para outras unidades de saúde. A construção de um Hospital Municipal aumentaria o número de vagas e desafogaria a demanda dos hospitais presentes em Feira de Santana, avalia o vereador Silvio Dias (PT).

Em concordância, o Professor Ivamberg (PT) explica que as Centrais de Regulação distribuem os pacientes de acordo com suas necessidades e, com a abertura de um novo hospital, este processo seria mais rápido, pondera. “Precisamos que a Prefeitura dê a contrapartida e construa hospitais. Feira de Santana é a segunda maior cidade da Bahia e não tem um Hospital Municipal”.

Fonte: ASCOM/Feira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.