‘Não é tempo de ficar no muro’, diz representante americano em reunião do G7 sobre posição do Brasil sobre Rússia

O encarregado de negócios da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Douglas Koneff, fez um pedido mais enfático para que o Brasil condene os ataques russos à Ucrânia. Em uma reunião com representantes de países do G7, o americano afirmou que não é momento de “ficar no muro” e que o Brasil tem uma voz importante, por isso tem “confiança que vai fazer o que for correto”.

A declaração — que seguiu a mesma linha dos demais representantes do grupo composto por Alemanha, França, Itália, Reino Unido, Canadá, Japão, além dos EUA — foi dada um dia após o presidente Jair Bolsonaro evitar condenar a invasão russa em solo ucraniano, que se iniciou na madrugada de quinta-feira.

— Não é tempo de ficar no muro. Todos os países devem condenar o ataque. A voz do Brasil importa. Temos confiança que o Brasil vai fazer o que for correto — disse Koneff.

Nesta sexta-feira, o Conselho de Segurança da ONU se reunirá para votar uma resolução condenando o ataque russo. Até o momento, a posição do Brasil no órgão é pela defesa de uma solução pacífica e negociada entre ambos os lados dos conflitos. Diplomatas, no entanto, esperam que o país mude sua posição apoiando uma ação mais dura contra a Rússia.

— Hoje é um dia muito importante em Nova York, porque uma resolução muito firme, muito forte vai ser apresentada ao Conselho de Segurança. E esperamos que o Brasil vote a favor dessa resolução e que condene a invasão à Ucrânia — afirmou a embaixadora da França no Brasil, Brigitte Collet.

A reunião dos representantes do G7 no Brasil aconteceu na tarde desta sexta-feira, antes de um encontro dos diplomatas europeus com autoridades do Itamaraty. Na conversa com jornalistas, os embaixadores afirmaram que países democráticos precisam condenar as ofensivas russas na Ucrânia para que o mesmo não ocorra em outros países.

— Se ignorarmos essa situação, a mesma coisa pode acontecer na Ásia ou na América Latina — disse o embaixador japonês no Brasil, Teiji Hayashi.

O encontro, que aconteceu na Embaixada alemã, em Brasília, também contou com a presença do encarregado de negócios da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, e do embaixador da União Europeia, Ignacio Ybañez Rubio. Este último afirmou que os diplomatas mantêm contato com as autoridades do Ministério de Relações Exteriores do Brasil e reforçou a necessidade de o país condenar as ações russas.

— Estamos passando uma mensagem muito clara ao governo brasileiro. Queremos ouvir uma mensagem que condene o ataque — disse.

Fonte: O Globo

 Foto: Embaixada dos Estados Unidos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.