Fachin concede liberdade condicional a ex-deputado Paulo Maluf

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu nesta quinta-feira (24) liberdade condicional ao ex-deputado Paulo Maluf.

Em 2017, Maluf foi condenado pela Primeira Turma do Supremo pelo crime de lavagem de dinheiro, com pena fixada em 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime fechado. Há quatro anos, ele está em prisão domiciliar.

Maluf foi acusado pelo Ministério Público Federal de usar contas no exterior para lavar dinheiro desviado da Prefeitura de São Paulo quando foi prefeito da capital, entre 1993 e 1996.

De acordo com a denúncia, uma das fontes do dinheiro desviado ao exterior por Maluf seria da obra de construção da Avenida Água Espraiada, atual Avenida Jornalista Roberto Marinho.

O político foi acusado de usar contas bancárias em nome de empresas “offshores” (firmas usadas para investimentos no exterior) para enviar dinheiro desviado e reutilizar parte do dinheiro na compra de ações de empresas da família dele, a Eucatex.

Segundo o MPF, mais de US$ 172 milhões foram aportados na empresa por meio desse esquema.

Progressão de regime
Em sua decisão, o ministro Edson Fachin afirmou que o ex-deputado cumpre os requisitos necessários para a progressão de regime, como cumprimento de mais de um terço da pena e ter bom comportamento.

Os advogados do ex-deputado ainda pediram ao Supremo a concessão do indulto humanitário, ou seja, perdão da pena. Esse julgamento ainda não tem data.

Maluf, de 90 anos, está internado no Hospital Vila Nova Star, na Zona Sul de São Paulo, devido ao diagnóstico positivo para Covid-19 na última sexta-feira (18). O estado de saúde do político é bom.

Fonte: G1

 Foto: Reprodução/TV Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *