EUA anunciam ajuda militar de US$ 800 milhões à Ucrânia, levando total a mais de US$ 3 bilhões desde início da guerra

O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou um novo pacote de ajuda militar de US$ 800 milhões para a Ucrânia nesta quinta-feira, incluindo artilharia pesada e drones, levando o total a mais de US$ 3 bilhões desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro.

Biden ainda anunciou outros US$ 500 milhões em assistência econômica ao governo ucraniano. O valor deve ser usado em salários, pensões e outros programas necessários para evitar o agravamento da situação humanitária na Ucrânia, segundo disse uma autoridade do Departamento do Tesouro americano ao New York Times. A quantia se soma a outros US$ 500 milhões anunciados pelo presidente em março.

O novo pacote de ajuda militar tem o mesmo valor de outro anunciado na semana passada. Biden disse que novas armas são necessárias para a Ucrânia combater a ofensiva russa no Leste, na região do Donbass, onde estão as autoproclamadas repúblicas pró-Moscou de Luhansk e Donetsk.

O presidente também anunciou a proibição de navios afiliados à Rússia de entrar em portos dos EUA.

— Isso significa que nenhum navio que navegue sob a bandeira russa ou que seja de propriedade ou operado por interesses russos poderá atracar nos portos dos Estados Unidos ou acessar nossas costas — disse Biden. — Este é mais um passo crítico que estamos dando em conjunto com nossos parceiros na União Europeia, Reino Unido, Canadá e outros, para negar à Rússia os benefícios do sistema econômico internacional que eles tanto desfrutaram no passado.

Biden fez os anúncios após se encontrar com o primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal. Uma fonte americana havia informado à Reuters que o premier visitou a Casa Branca nesta quinta-feira.

No pronunciamento na Casa Branca, Biden acrescentou que os US$ 13,6 bilhões aprovados no mês passado pelo Congresso americano para ajuda militar e humanitária estavam “quase esgotados”.

— Na próxima semana, terei que enviar ao Congresso um pedido de orçamento suplementar para manter a distribuição de armas e munições sem interrupção — disse Biden.

O Congresso dos EUA já sinalizou que está receptivo a novos pedidos. O presidente americano, no entanto, não detalhou quanto financiamento adicional ele solicitaria.

— Estamos em uma janela crítica do tempo em que eles vão preparar o terreno para a próxima fase desta guerra — disse Biden, afirmando que os EUA e seus aliados estão se movendo “o mais rapidamente possível” para fornecer à Ucrânia a equipamentos e armas de que necessita.

Questionado sobre a afirmação do presidente russo, Vladimir Putin, de que a Rússia tomou o controle da cidade de Mariupol, Biden disse que a alegação é “questionável”.

— Ainda não há provas de que Mariupol caiu por completo — afirmou. — A Rússia nunca terá sucesso na ocupação da Ucrânia.

Fonte: O Globo

Foto: Evelyn Hockstein / Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.