Estado investe R$ 28 milhões em equipamentos para requalificar estúdios de TV do Emitec

O Governo da Bahia investiu um total de R$ 28.415.148,64 milhões na modernização dos três estúdios implantados no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, para a execução do Programa Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (Emitec). O investimento, iniciado em 2020, na requalificação dessa oferta de ensino estruturante da Secretaria da Educação do Estado (SEC), criada em 2011, visa garantir resultados ainda mais positivos no processo de ensino e aprendizagem dos seus estudantes.

Por meio de uma parceria com o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb), houve uma mudança na matriz tecnológica, de modo que as aulas ao vivo, que antes eram transmitidas às escolas via internet, passaram a ser transmitidas por ondas de TV, contando com três canais internos voltados para cada uma das séries do Ensino Médio.

Como parte desse aparato tecnológico, foram implantadas as Salas Multiuso, que visam oportunizar experiências pedagógicas inovadoras para estudantes e professores da rede estadual, através da transmissão de aulas síncronas; da formação continuada; e de aulas com mediação audiovisual. Através dessas salas, todas as unidades escolares terão cinco canais educacionais, dentre os quais os três do Emitec, com aulas ao vivo.

Do total investido, o montante de R$ 16.076.887,83 foi para a aquisição de antenas parabólica, notebook, amplificadores, receptores e kit multimídia para a implantação de salas multiuso. Com esse equipamento, não somente as unidades do Emitec terão aulas ao vivo via TV, mas todas as unidades escolares. Nesse sentido, as aulas do Emitec, que chegavam a 351 localidades de 133 municípios, agora chegará em todas as unidades escolares dos 417 municípios baianos.

A diretora do Emitec, Letícia Machado, detalha que os estúdios do programa contam, agora, com equipamentos de última geração, a exemplo de TVs de 55 polegadas, antena parabólica para a recepção das aulas, câmeras robóticas, telas touchscreens, gravadores digitais, monitores de áudio profissional, chroma-key e monitores, entre outros recursos tecnológicos de ponta. “Toda essa infraestrutura trará uma melhor qualidade de transmissão de aula, impactando na qualidade do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes do Emitec. Além disso, com a criação das salas multiuso nas escolas estaduais, todos os estudantes da rede poderão ter acesso às aulas do programa”.

O diretor-geral do Irdeb, Flávio Silva Gonçalves, ressalta que este é o maior investimento realizado no Emitec desde o início do programa. “Os novos estúdios e equipamentos em Salvador e nas escolas permitem um processo de aprendizagem ainda mais abrangente e dinâmico para os estudantes da rede. E a integração com a TV Educa Bahia garante que eles, em suas casas, possam ter acesso a aulas e conteúdos pela TV durante 24 horas por dia e nos sete dias da semana. É mais uma iniciativa inovadora do governo do Estado para apoiar os estudantes em todos os 27 Territórios de Identidade”.

No ano letivo continumm 2020/21, o Emitec atendeu a 21.207 mil estudantes. Ao longo da sua existência, o Emitec já contemplou cerca de 181.170 mil estudantes de 9.733 turmas. Entre 2020 e 2021, foram atendidas 1.076 turmas. De quando surgiu até 2020, mais de 44.014 mil estudantes se formaram pelo programa. “O ano passado foi atípico e de grande desafio, pois assumimos as aulas remotas da rede estadual. Mas o resultado foi muito bom nas devolutivas dos estudantes através das redes, da TV Educa Bahia e do YouTube”, faz o balanço a diretora Letícia. A matrícula do Emitec prossegue até o final da 1ª unidade e pode ser realizada nos Centros Regionais de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (CEMIT) ou nas escolas de vinculação dos municípios da Bahia.

Sobre o Emitec – O Programa de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica é estruturado para que os estudantes que moram em áreas remotas da Bahia assistam às aulas transmitidas via satélite, em tempo real, diretamente dos estúdios no Instituto Anísio Teixeira, em Salvador, e ministradas por professores da rede estadual. Nas telessalas, os alunos contam com professores mediadores, encarregados na interlocução de dúvidas com os professores em estúdio e na aplicação de avaliações. A comunicação entre professores e mediadores se dá via chat e os conteúdos são veiculados através de uma moderna plataforma de telecomunicações que possibilita, inclusive, videoconferências. Após as aulas, os vídeos são editados e disponibilizados no Portal da Educação.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.