Comissão do Senado quer ter acesso a áudios de ministros do STM sobre torturas

O presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou ontem, por meio da rede social twitter, que pedirá acesso aos arquivos de áudio de sessões do Superior Tribunal Militar (STM) em que ministros comentaram episódios de tortura a investigados e até a algumas testemunhas em inquéritos que estavam sob a jurisdição do tribunal. As gravações aconteceram de 1975 a 1985 e foram tornadas públicas por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). O historiador Carlos Fico compilou o material e a jornalista Miriam Leitão, do jornal O Globo, divulgou trechos das gravações em seu blog.

Essas revelações mostram que o trabalho com o nosso passado mal começou. A Comissão da Verdade foi um grande passo. Mas ainda há um enorme caminho a percorrer. Por isso, a Comissão de Direitos Humanos do Senado pedirá acesso aos áudios e tomará as devidas providências”, afirmou o senador em sua postagem. Para Costa, “a exposição das gravações em quem que ministros do STM admitem tortura é uma assunção cabal do Estado sobre tudo o que cometeu durante o regime militar.

Entre os áudios transcritos pela jornalista, o então ministro Rodrigo Otávio Jordão Ramos, general, relata em 1977 uma apelação em que diversos casos de tortura são mencionados, inclusive o de Nádia Lúcia do Nascimento, que estava grávida de três meses e perdeu o bebê em razão das sevícias.

Fonte: Valor Econômico

Foto:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.