Autoridades dos EUA notificam primeiro caso de gripe aviária H5N1 em humanos

Os Estados Unidos comunicaram, nesta quinta-feira (28), o primeiro caso identificado de gripe aviária H5N1 em humanos. O caso foi notificado pelo estado do Colorado e confirmado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)

De acordo com o comunicado, o caso ocorreu em uma pessoa que teve exposição direta com aves e estava envolvida no processo de abate de animais com suspeita de H5N1. O paciente relatou fadiga por alguns dias como seu único sintoma e desde então se recuperou. O paciente está sendo isolado e tratado com o antiviral oseltamivir.

As autoridades em saúde poderaram que o caso não altera a avaliação de risco humano para o público em geral, considerada baixa pelo CDC. “No entanto, as pessoas que têm exposições relacionadas ao trabalho ou recreativas a aves infectadas correm maior risco de infecção devem tomar as precauções apropriadas descritas nas orientações do CDC”, diz um trecho do comunicado emitido pelo órgão.

Os indivíduos que tiveram contato com aves infectadas pelo vírus estão sendo monitorados desde as primeiras ocorrências de surtos em aves, no final do ano passado.

“Até o momento, os vírus H5N1 foram encontrados em aves comerciais e de quintal dos EUA em 29 estados externos ícone e em aves silvestres em 34 estados. O CDC rastreou a saúde de mais de 2.500 pessoas com exposição a aves infectadas pelo vírus H5N1 e este é o único caso encontrado até o momento”, acrescentou a nota.

Outras pessoas que têm relação direta com o processo de abate de aves no Colorado foram testadas, mas tiveram diagnóstico negativo para a infecção pela variante.

O caso dos EUA é o segundo do tipo a ser registrado em todo o mundo e o primeiro identificado dentro do território estadunidense.

Entre os sintomas da infecção pela H5N1 estão manifestações leves como infecção ocular, sintomas respiratórios superiores a outras, mais graves, como pneumonia. O vírus pode levar à morte.

A CDC pontuou que o único caso humano anterior associado a este grupo de vírus H5N1 não produziu sintomas. A disseminação de vírus H5N1 anteriores de uma pessoa infectada para um contato próximo aconteceu muito raramente e não levou à disseminação sustentada de pessoa para pessoa.

Fonte: Bahia Notícias

Foto: James Gathany/CDC/Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.