Após lesão, Seleção tem Cunha distante e mira resgastes de Firmino e Richarlison para disputa no ataque

Com a tabela definida para a próxima data Fifa – jogos contra o Chile dia 24 e diante da Bolívia, em La Paz, 27 -, a comissão técnica da seleção brasileira segue em observação de atletas para a lista que vai ser entregue dia 4 de março – uma semana antes da divulgação.

Tite e sua equipe lamentaram bastante a lesão de Matheus Cunha, que deixou a partida do Atlético de Madrid com torção no joelho. Ele ainda será avaliado e passará por exames, mas em primeira análise a Seleção percebe que dificilmente vai tê-lo nestes próximos jogos – o atacante paraibano foi titular nas últimas três partidas do time de Tite.

Se a notícia é de se lamentar por um lado, a comissão técnica vê como boas as possibilidades de voltar a chamar Richarlison e Roberto Firmino. A convocação dos dois juntos depende também de escolhas de quem vai sair, claro – pois há volta certa de Neymar, que jogou alguns minutos pelo PSG nessa quarta-feira, e outras opções para o ataque, como Gabriel Barbosa, do Flamengo.

Os sete atacantes convocados por Tite na última lista: Antony, Vini Jr, Rodrygo, Gabriel Jesus, Matheus Cunha, Raphinha e Gabriel Barbosa

Mas não é descartada a chance de Tite convocar o jogador do Everton e do Liverpool juntos. Eles não são convocados desde junho do ano passado – a chance da dupla voltar junta exista também porque Tite vai chamar novamente 26 jogadores. São 12 pendurados na última lista – mais ainda Neymar, que levou cartão na sua última partida (vitória sobre a Colômbia em novembro do ano passado).

O objetivo é também experimentar processo pelo qual passou Philippe Coutinho, que foi convocado com baixa atividade no Barcelona e, depois da transferência para o Aston Villa e de duas convocações seguidas, está “de volta ao jogo”. Ou seja, de volta à disputa de uma vaga para a Copa.

No ciclo da Copa de 2018 até o Catar, Firmino e Richarlison são os dois com maior participação em gols depois de Neymar. Veja:

Firmino – 10 gols, 4 assistências, 14 participações em gols em 30 jogos

Richarlison – 10 gols, 3 assistências, 13 participações em gols em 32 jogos

Na convocação de janeiro, Firmino – autor do primeiro gol na vitória do seu time contra a Internazionale – tinha poucas partidas desde a volta da lesão – após a convocação fez mais de 500 minutos pelo Liverpool. Caso semelhante a de Richarlison, que fez gol no fim de semana e tem quase 400 minutos desde o último anúncio de chamados por Tite em janeiro.

Pendurados da Seleção: Alisson, Thiago Silva, Marquinhos, Fred, Bruno Guimarães, Gerson, Gabriel Jesus, Gabigol, Vini Junior, Antony e Raphinha. Além de Neymar, fora da última lista por lesão

E Gabriel Jesus?

No planejamento da comissão técnica, são, pelo menos, oito vagas à frente dos volantes:

dois atacantes pela direita, como Raphinha e Gabriel Jesus entre os últimos convocados;

dois pela esquerda, equivalentes na última lista a Vini Jr e Antony, que tem facilidade para jogar nas duas. (Mas Rodrygo, que joga no Real pela direita e foi o sétimo atacante convocado em janeiro, está nessa briga por uma das pontas;

dois meias centrais atrás dos atacantes, na posição que na última lista foram de Lucas Paquetá (este tem a vantagem de poder fazer segundo volante, como fez contra o Paraguai, e ser também o jogador aberto pela esquerda, como foi recentemente) e Philippe Coutinho (na posição que é do titular Neymar), com Everton Ribeiro como terceiro nome, mas há Claudinho nessa fila;

dois atacantes mais centrais, que foram Matheus Cunha e Gabigol na última.

Esses oito citados acima podem virar nove, caso Tite decida “ganhar” uma vaga. Esta possibilidade é avaliada pela comissão técnica sob a seguinte hipótese: Paquetá ser tanto o titular como opção de meia-atacante como um reserva de Fred para segundo homem de meio de campo.

Mas fato é que as opções deixam de sobreaviso jogadores que não vivem seus melhores dias. Um exemplo claro é de Gabriel Jesus, que começou a temporada muito bem com o Manchester City, perdeu espaço nas últimas partidas e ainda não voltou a jogar, com problemas musculares, desde a última convocação.

É um jogador que a comissão técnica confia bastante, conhece as virtudes e as fraquezas e que tem a vantagem de fazer tanto os lados do campo de ataque quanto ser opção para a faixa central, como atacante de área. Mas neste momento de ascensão de alguns jogadores, como Raphinha e Antony, que também atua pela direita, deixa brecha para outras opções no setor mais concorrido da Copa.

Confira as últimas partidas da Seleção nas Eliminatórias:

Brasil x Chile – 24 de março – 20h30

Bolívia x Brasil – 29 de março – sem horário definido ainda.

Fonte: Ge

Foto: REUTERS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *